FORMAÇÃO DE EQUIPES - PARTE II | IAVB - Igreja Apostólica Vale da Bênção

FORMAÇÃO DE EQUIPES - PARTE II

FORMAÇÃO DE EQUIPES

(parte 2)

 

2 – Ministerial.

 

Texto = Números 11:14-17, 24-25.

 

Introdução:

No presente texto Moisés percebeu que a sua função ministerial estava muito pesada e pediu a Deus para que o ajudasse nesta tarefa. Foi neste momento que Deus decidiu formar uma equipe ministerial para ajudar a Moisés conduzir o povo de Israel à terra prometida. Esta equipe era diferente da equipe orientada por Jetro, sogro de Moisés, pois a primeira equipe formada era para ajuda-lo administrativamente (veja a parte I).

 

A Bíblia diz que Deus falou para que Moisés reunisse a Ele setenta homens dos anciãos dos filhos de Israel. Deus desceu e tirou da unção ministerial que estava sobre Moisés e ungiu aos setenta homens para que eles ajudassem a conduzir o povo aliviando o peso ministerial que estava sobre os ombros de Moisés. Quando o Espírito Santo foi liberado sobre eles, como sinal de confirmação, foi ativada uma unção profética e eles começaram a profetizar.

 

Hoje, nós também, trabalhamos para desenvolver a capacidade e o potencial de cada um dos nossos discípulos que formam a nossa Equipe Ministerial. A Equipe Ministerial não tem um número exato de pessoas, mas é formada de acordo com a capacidade das pessoas, incluindo homens e mulheres. Procuramos ter cuidado em avaliar a maturidade, o potencial e desenvolver a capacidade de cada um, para que o aproveitamento seja mais eficaz.  

 

Mas a pergunta que fazemos é: O que é uma Equipe Ministerial? Podemos definir da seguinte maneira: “Uma equipe é um grupo definido que é comprometido, capacitado e coordenado para obter os mesmos alvos”. Então, os alvos, resumidos na visão de equipe, são o alicerce de todo o resto da equipe. Precisamos ter os mesmos alvos, os mesmos objetivos e a mesma linguagem. (Ef.4:1-7; Fl.4:8-9). 

 

Deus tem nos dado um lema para ser difundido na visão de discipulado que nós trabalhamos e na formação da Equipe Ministerial. O lema é: Transparência, Fidelidade e Comunhão. O modelo bíblico adotado por Deus sempre foi o trabalho em equipe. E Jesus era conhecedor dessa realidade, pois no Evangelho de João 10:30 diz: “Eu e o Pai somos um”. E no capítulo 14:9 diz: “Quem vê a mim, vê o Pai”. Dentre várias maneiras que Jesus usou para evangelizar, está o trabalhar nas casas. 

 

Este ensino foi muito bem compreendido pela Equipe Ministerial de Jesus, o livro de Atos registra que os discípulos se reuniam de casa em casa, vejamos: “Diariamente perseveravam unânimes no templo, partiam pão de casa em casa e tomavam as suas refeições com alegria e singeleza de coração” (At.2:46). O resultado dessa estratégia foi à conquista de almas, pois a Igreja Apostólica de Atos caia na graça do povo: “Louvando a Deus e contando com a simpatia de todo o povo”. E o resultado era que: “Enquanto isso lhes acrescentava o Senhor, dia a dia, os que iam sendo salvos”. (At.2:47). Podemos definir que o crescimento da Igreja Apostólica de Atos aconteceu através do discipulado e das células.

 

Continua...