Princípios de Autoridade | IAVB - Igreja Apostólica Vale da Bênção

Princípios de Autoridade

PRINCÍPIOS DE AUTORIDADE

Parte – 1

  

Texto = I Samuel 15:22-23.

22. Porém, Samuel disse: Tem porventura o Senhor tanto prazer em holocaustos e sacrifícios, como em que se obedeça à palavra do Senhor? Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar; e o atender melhor é do que a gordura de carneiros.

23. Porque a rebelião é como o pecado de feitiçaria, e o porfiar é como iniquidade e idolatria. Porquanto tu rejeitaste a palavra do Senhor, ele também te rejeitou a ti, para que não sejas rei.

1 – A QUEBRA DO PRINCIPIO DE AUTORIDADE

Toda insubmissão tem sua raiz na rebelião contra Deus. Desde o Éden, o grande problema do homem está ligado à falta de sujeição.

Há na nossa carne um desejo de ser independente, de governar a si mesma. Isso pode manifestar-se no relacionamento direto com o Senhor, como também em relação àqueles que Ele investe de autoridade sobre nós.

Entretanto, a Bíblia mostra Deus tratando com severidade toda forma de rebelião. Ela é comparável à feitiçaria (I Sm 15:23).

Toda vez que resistimos a alguém que Deus colocou sobre nossas vidas, estamos quebrando o “princípio de autoridade” e, provavelmente, sofreremos as consequências de acordo com o nosso pecado.

Vamos ver como isso pode acontecer, analisando alguns exemplos bíblicos de rebeldia:

1º Exposição leviana de uma autoridade.

Em Gênesis 9:20-27, lemos que Noé cometeu um pecado:

1) Embriagou-se e foi achado despido dentro de sua tenda, numa situação vergonhosa.

2) Cão, seu filho, vendo-o assim, saiu e levianamente expôs sua nudez.

3) Por causa disso, toda a descendência de Cão recebeu uma maldição, visto que ele desrespeitou a autoridade de seu pai, publicando maldosamente seu pecado.

Precisamos ter muita cautela quando abrimos nossa boca para falar de uma autoridade, seja civil, familiar, eclesiástica ou em qualquer outra área.

Na nossa língua há poder de vida e de morte e, se ferirmos alguém que está sobre nós, vamos prestar contas a Deus.

Davi certa vez disse: “Não ousarei estender a minha mão contra um ungido do Senhor” (1 Samuel 24:6-9; 26:9-16).

Ele se referia a Saul, o rei que o perseguia, mas que, embora desviado do Senhor, continuava numa posição de autoridade. Por isso Davi não ousou tocá-Io.

O que a Bíblia ensina não é que autoridades não devem ser tratadas nos seus erros. Muito pelo contrário, devem responder ainda sob maior peso, de acordo com a responsabilidade que exercem (I Timóteo 5:19-20).

19. Não aceites acusação contra o presbítero, senão com duas ou três testemunhas.

20. Aos que pecarem, repreende-os na presença de todos, para que também os outros tenham temor.

Entretanto, o tratamento deve ser feito por quem que está em posição para fazê-Io. O que Cão fez foi expor levianamente seu pai diante de seus irmãos, pessoas que não tinham como repreendê-Io. Esse tipo de atitude desagrada ao Senhor.

Continua...