Princípios de Autoridade - Parte 2 | IAVB - Igreja Apostólica Vale da Bênção

Princípios de Autoridade - Parte 2

PRINCÍPIOS DE AUTORIDADE

Parte - 2 

 

2 – EXERCENDO AUTORIDADE SOBRE OUTROS.

Se para o ser humano é um grande desafio submeter-se às autoridades constituídas, também é o exercer autoridade sobre outros de modo correto e agradável a Deus. Tão importante quanto saber obedecer é saber liderar segundo o Modelo de Cristo. Para que isto aconteça, alguns conceitos e princípios bíblicos têm que estar bem firmados no coração.

1º A autoridade é dada para servir.

Toda autoridade é dada por Deus para servir (Mateus 20:26-28). Pode parecer antagônico, mas quanto mais elevada for à posição de alguém numa hierarquia, maior será o peso de cobrança sobre seu serviço. Todo líder tem que ser um ministro, um servo, seja na sociedade, na família ou na igreja. Assim, um pai de família serve sua família através da liderança. Da mesma forma, um pastor ou discipulador na igre­ja. Eis o motivo pelo qual, pessoas que exercem autoridade necessitam de um coração quebrantado a fim de que o façam visando o bem daqueles que lhe são subordinados. 

2º Autoridade e autoritarismo.

Muitos confundem exercício de autoridade com autoritarismo. Há uma grande diferença entre um líder e um chefe autoritário. O primeiro vai à frente, aponta o caminho e comanda em amor debaixo de uma legalidade, sabendo que não tem nenhum poder em si mesmo, a não ser aquele que lhe foi delegado por Deus. O segundo exerce domínio sobre as pessoas, busca sua própria satisfação e impõe sua vontade pesso­al. Ele age como se fosse à fonte da autoridade e a usa extrapolando limites, muitas vezes impedindo que os que estão sob seu comando pensem e tenham sua própria convicção. (Abuso de autoridade). Ora, a Palavra diz: “Apascentai o rebanho de Deus, que está entre vós, não por força, mas espontaneamente segundo a vontade de Deus; nem por torpe ganância, mas de boa vonta­de; nem como dominadores sobre os que vos foram confiados, mas servindo de exemplo ao rebanho” (I Pedro 5:2-3). Esse é o modelo de liderança segundo Cristo. 

3º Exercendo autoridade pela palavra de Deus.

Há uma conexão entre o discipulado e a autoridade de Cristo. Ele mesmo disse: “Toda autoridade me foi dada nos céus e na terra, portanto ide e fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado...” (Mateus 28:18-20). Note que a tarefa do discipulado é uma consequência da autorida­de de Jesus, visto que o discipulador lidera, não em seu nome, mas no nome do Senhor. Agora, atente para isto: a autoridade que está sobre um líder na igreja é a autoridade de Cristo e ele deve exercê-Ia baseado única e exclusivamente na Palavra de Deus, uma vez que sua tarefa é ensinar tudo o que Jesus ordenou”. Portanto, a base para sua liderança é o que está na Palavra do Eterno e não a sua vontade ou caprichos pessoais. 

4º Reconhecimento conquistado e não imposto.

Outro princípio muito importan­te para o correto exercício da autoridade é que ela não pode ser imposta. Muitos erram porque querem fazer com que os outros se submetam a eles, sem, contudo, conquistar-Ihes o coração e a confiança. O bom líder é aquele que vai à frente, que se oferece como modelo, que ama, e, baseado nisto, conquista as pessoas e as encoraja a segui-Io.

Continua...