Princípios de Autoridade - 3 | IAVB - Igreja Apostólica Vale da Bênção

Princípios de Autoridade - 3

Princípio de Autoridade – 3

3º Murmuração e relativização da autoridade.

Outro exemplo de rebelião ocor­rido durante o êxodo do Egito e tratado severamente por Deus foi cometido por Miriã e Arão contra seu irmão e líder Moisés. O episódio está narrado em Números 12:1-15.

A Bíblia diz que, por não concordarem com o fato de Moisés ter se casado como uma mulher da Etiópia, (região de Cuxe).

Eles “falaram contra” Moisés e tentaram relativizar sua autoridade, argumentando que Deus os usava também. Por que, então, teriam que se submeter?

Sua linha de raciocínio era mais ou menos a seguinte: “Se este homem faz coisas que não gostamos e é usado por Deus tanto quanto nós somos, porque temos que obedecê-Io? Afinal, além de falho, ele é igual a nós”­.

O Senhor respondeu duramente a esta atitude, e Miriã ficou imediatamente leprosa.

Há dois pecados sérios neste caso. O primeiro é murmuração contra um líder e o segun­do a relativização da sua autoridade. Ambos são sutis e altamente perigosos.

Quando come­çamos a falar com os outros sobre discordâncias e insatisfações que temos em relação aos que estão liderando sobre nossas vidas pisamos num terreno escorregadio.

Especialmen­te no contexto de Igreja, contaminamos pessoas e podemos gerar facções. Ora, a Bíblia trata aquele que causa divisões como um perigo: O homem faccioso, depois da primeira e segunda admoestação, evita-o” (Tito 3:10).

Continua...