Uma Igreja com Maturidade | IAVB - Igreja Apostólica Vale da Bênção

Uma Igreja com Maturidade

UMA IGREJA COM MADURIDADE ESPIRITUAL

 

Parte – 1

 

Texto = 15:5-7.

Introdução:

Uma pessoa decide-se por uma igreja, quase sempre, por causa da acolhida que lhe é dada. Ninguém fica numa igreja, onde não consegue fazer amizade. Porque as pessoas são importantes para Deus e precisam ser valorizadas. A igreja é a comunidade mais importante da história da humanidade. Jesus está edificando a sua igreja. A igreja é a menina dos olhos de Deus. A igreja é a noiva do Cordeiro. A igreja é a representante do Reino de Deus na história. A igreja é o corpo de Cristo no mundo. A igreja é um projeto de qualidade total – “Até que todos cheguem à unidade da fé e do pleno conhecimento do Filho de Deus, à perfeita varonilidade, à medida da estatura da plenitude de Cristo” (Ef. 4:13).

a) A igreja não é a sede de um clube, onde cada um paga a sua mensalidade e vive isoladamente;

b) A igreja não é um refugio de salvos, onde cada um busca os seus próprios interesses;

c) A igreja não vive a santidade umbilical, onde cada um está voltado para si mesmo;

d) A igreja busca e procura a qualidade total, como corpo, busca ser igual a Jesus.

Como nós podemos ser uma Igreja com Maturidade Espiritual?

1 – DESENVOLVENDO-SE COMO UM CORPO.

1º Um corpo possui UNIDADE – I Co. 12:12-13.

Porque, assim como o corpo é um, e tem muitos membros, e todos os membros do corpo, embora muitos, formam um só corpo, assim também é CristoPois em um só Espírito fomos todos nós batizados em um só corpo, quer judeus, quer gregos, quer escravos quer livres; e a todos nós foi dado beber de um só Espírito. (unidade sem diversidade é uniformidade, mas diversidade sem unidade é anarquia).

2º Um corpo possui DIVERSIDADE – I Co. 12:14. Porque também o corpo não é um membro, mas muitos.

a) Complexo de Inferioridade – I Co. 12:15-16.

Se o pé disser: Porque não sou mão, não sou do corpo; nem por isso deixará de ser do corpoE se a orelha disser: Porque não sou olho, não sou do corpo; nem por isso deixará de ser do corpo.

b) Complexo de Superioridade – I Co. 12:21. E o olho não pode dizer à mão: Não tenho necessidade de ti; nem ainda a cabeça aos pés: Não tenho necessidade de vós.

3º Um corpo possui PARTICULARIDADES – I Co. 12:25-26.

Para que não haja divisão no corpo, mas que os membros tenham igual cuidado uns dos outrosDe maneira que, se um membro padece, todos os membros padecem com ele; e, se um membro é honrado, todos os membros se regozijam com ele.

a) A solidão e o isolamento da vida moderna – O homem é apenas um número, sem nome, sem cara, sem sonhos. A igreja é a comunidade da solidariedade e não da solidão; 

b) O tratamento pessoal é fundamental – A importância de chamar as pessoas pelo nome. É assim que Jesus faz conosco (Jo. 10:14,27);

Eu sou o bom pastor; conheço as minhas ovelhas, e elas me conhecem, As minhas ovelhas ouvem a minha voz, e eu as conheço, e elas me seguem.

c) A necessidade de ser sensível às necessidades das pessoas – Jesus ensinou, pregou e curou. Ele se compadecia das multidões porque estavam exaustas e aflitas como ovelhas sem pastor.

d) A necessidade de nos envolvermos com as pessoas – Neemias perguntou: Vai tudo bem?

e) A necessidade de sermos afetuosos no relacionamento – Paulo beija e chora com os líderes da Igreja de Éfeso. (At.20:37).

f) A necessidade de acolhermos uns aos outros como Deus em Cristo nos acolheu – Jesus tocou o leproso; Jesus abraçou as crianças; Jesus conversou com a samaritana; Jesus comeu com os pecadores; Jesus hospedou-se na casa de publicanos. Para Jesus as pessoas eram mais importantes do que os rituais.

g) A necessidade de entendermos que somos conhecidos como discípulos pelo amor – A ilustração do purê de batata (Jo. 13:34-35).

Um novo mandamento, Eu vos dou: que vos ameis uns aos outros; assim como eu vos amei a vós, que também vós vos ameis uns aos outrosNisto conhecerão todos que sois meus discípulos, se tiverdes amor uns aos outros.

Continua...

 

Ap. Milton Rocha Paes